criatividade fora da caixa

8 Dicas para recuperar a criatividade

O bloqueio criativo é algo completamente desesperador para qualquer pessoa que precisa desse elemento mágico para trabalhar: a criatividade. Porém, existem algumas coisas que você pode fazer para recuperar a sua criatividade. Confira!

Você senta na frente do computador e percebe que não consegue pensar em nada para digitar ali. A sua mente está ainda mais branca do que a tela que se apresenta na sua frente. Então, você digita coisas aleatórias e se frustra ao perceber que nada daquilo tem sentido e que dali não vai sair o trabalho que você esperava concluir.

Acredite: essa é uma cena clássica na vida de todo redator e escritor. Mas não é só com esses profissionais que o bloqueio criativo prega as suas peças. Qualquer pessoa que trabalha com a criatividade sofre com isso.

Os motivos que nos levam a ter bloqueios criativos podem ser muitos: procrastinação, erros cometidos antes, medo de rejeição, pressão com prazos e entregas, falta de inspiração, cansaço mental, rotina entediante…

O pior de tudo é que não existe fórmula para resgatar a criatividade quando esta resolve sumir por tempo indeterminado – e ela às vezes desaparece como em um passe de mágica.

Quer aumentar seus ganhos como Freela?
E-book completo e grátis que vai te ajudar agora a aumentar em até 82% o seu rendimento.

Mas existem, sim, algumas coisas que você pode fazer para melhorar a situação e, quem sabe, recuperar um pouco mais rápido a sua criatividade.

Mantenha-se curioso

A curiosidade é o combustível da criatividade. Mas em meio à tantas preocupações no dia a dia, estresse, tarefas, prazos, é normal deixarmos a curiosidade de lado – afinal, temos que ocupar nosso tempo com as coisas que “importam”, certo?

Errado!

Para quem trabalha com processos criativos, é essencial manter-se sempre curioso. Pesquisando sobre coisas novas, aprendendo, deixando a sua mente sair fora da caixinha que normalmente a aprisionamos no dia a dia para conseguirmos nos manter focados e ocupados.

Porém, se você não deixa a sua curiosidade fluir, você dificilmente vai conseguir ter novas ideias com facilidade. E, quando seu banco de ideias já tiver acabado, o que você vai fazer? Ter um bloqueio criativo!

Mas, se você instiga constantemente a sua curiosidade, e está sempre querendo aprender coisas diferentes e novas, buscando sobre assuntos que não necessariamente precisam ter a ver com seu trabalho, você dá espaço para a sua curiosidade criar e inspirar.

Quem é curioso precisa ter tempo e energia para extravasar isso, e quando você é uma pessoa curiosa e quer se limitar, você acaba perdendo toda a sua inspiração e fazendo apenas aquilo que você precisa fazer.

E acredite: esse é o caminho para matar toda a sua criatividade!

Novas experiências

Um erro muito comum quando queremos ser bons em uma área é achar que precisamos dedicar nosso tempo totalmente naquilo. Então, nos cercamos apenas de pessoas que fazem o mesmo que nós, estudamos apenas sobre aquilo e até nossos hobbies estão relacionados a isso.

Mas isso pode trazer mais dificuldades para melhorar a criatividade do que realmente te ajudar a ser mais criativo.

Um artigo publicado na APA (American Psychological Association) revela algumas dicas dadas pelo Robert Epstein, professor, jornalista, escritor e psicologo que estuda sobre criatividade e comportamentos.

Dentre as dicas, ele comenta que uma das formas de você ser mais criativo é você se expandir a novas experiências, tanto em novos estudos em áreas diferentes da que você atua, como também em diferentes experiências cotidianas, como fazer viagens, visitar novos museus…

Quando você se cerca com pessoas diferentes e coisas diferentes, que geram curiosidade e interesse, isso faz com que você seja mais capaz de desenvolver ideias mais originais, pensar fora da caixa.

Portanto, estude sobre temas diversos, que não tenham ligação direta com seu trabalho e o que você precisa fazer, tenha tempo para sair com amigos, conhecer pessoas novas, ter novas experiências e, assim, amplie o seu conhecimento sobre o mundo, a vida, as pessoas.

Isso tudo é útil para que você pense coisas diferentes, saia de dentro da sua bolha e se permita descobrir novas ideias que não seriam possíveis desenvolver se você estivesse pensando apenas no que precisa fazer especificamente.

Assim, você vai conseguir voltar para as suas tarefas com a sua mente muito mais ampla, com novas ideias, novas experiências, mais leveza e muito, muito mais criatividade.

Ciclos de procrastinação

Trabalhar com criatividade envolve muito também ser proativo, pois quando tendemos a alimentar o hábito da procrastinação é como se fôssemos matando aos poucos toda a nossa inspiração, motivação e criatividade também.

Pense: quantas vezes você teve aquela ideia INCRÍVEL e estava super animado para tirar do papel e começar a agir, mas aí foi deixando para depois, para quando tivesse mais tempo, para quando aprendesse mais um pouco, e com isso outras obrigações surgiram. E aí você se vê em um ciclo vicioso com todas suas ideias incríveis que acabam morrendo por causa da procrastinação.

O problema de procrastinar é que a gente se sente muito mal em fazer isso. Não é simplesmente relaxar ou ter uma folga. Procrastinar não é sobre ter um tempo livre, mas sobre não fazer aquilo que precisa ser feito dentro daquele tempo que deveria estar sendo produtivo. E nós sabemos disso. Por isso, nos sentimos culpados, improdutivos, e cada vez menos inspirados.

rotina criativa

Repense a sua rotina

Eu vejo muitas pessoas que tentam ser produtivas e criativas segundo uma rotina que não é adequada para a sua realidade.

E, claramente, isso acaba fazendo com que você tenha menos motivação, energia, ânimo e interesse em fazer as suas tarefas diárias – pois você está cumprindo uma obrigação e não respeitando o seu próprio ritmo.

Autoconhecimento é libertador para seu processo criativo

Isso significa que entender as suas limitações, seus pontos fortes e fracos, como você funciona mais e melhor é o ponto chave para que você possa criar uma rotina que funcione.

E esse é o ponto chave de toda rotina: funcionar. Não se trata de você produzir igual uma máquina, mas de funcionar bem dentro do seu dia de forma que você consiga fazer o que precisa ser feito respeitando o seu processo.

Mas quando você passa por cima disso apenas para cumprir uma obrigação criada por si mesmo, você acaba matando aos poucos a sua criatividade. Pois, você acaba com a sua energia, com sua disposição, com seu desejo em produzir, apenas para cumprir e caber dentro de uma rotina que te molda em um padrão no qual você sabe que não funciona para você.

Agora, quando você cria uma rotina que realmente funciona, você se sente realizada, você se sente compreendida, você se sente satisfeita em funcionar dentro dela.

Se você anda se sentindo cansada, sem ânimo, sem êxtase em fazer coisas que antes te motivavam e que você ama fazer, talvez seja um bom momento para você repensar a sua rotina.

 

Respeite os processos criativos diferentes

Nós valorizamos muito pessoas que conseguem ter insights, ideias brilhantes rapidamente, que conseguem em questão de segundos acender aquela lâmpada que clareia todas as ideias e mostra a direção certa.

Mas na criatividade não existe resposta correta e, sim, alternativas possíveis, como aborda Giovanni Corazza, professor na Universidade de Bolonha e fundador da Marconi Institute of Creativity, em sua palestra no TedxRoma, Creative thinking – how to get out of the box and generate ideas (Pensamento criativo – como sair da caixa e criar ideias, em tradução livre).

Nesta mesma palestra, Corazza afirma sobre a importância de valorizarmos os processos criativos longos, que permitem reflexão, contemplação, pensamentos profundos. Sim, é bom ter boas ideias rapidamente, pensamentos brilhantes e quase instantâneos. Mas criatividade não se trata apenas disso!

Ao se permitir pensamentos longos, profundos, processos criativos aprofundados você realiza uma série de processos em sua mente de associação de ideias, combinação de ideias, extração de princípios e aplicação destes em diferentes áreas.

É assim que você pensa fora da caixa e começa recuperar a criatividade que te permite ter ideias inovadoras. Pois, se você fica apenas tentando ter ideias rápidas e práticas, você se mantém na superfície. Mas ao ter paciência e perseverança para contemplar suas ideias e extrair delas mais e mais, você consegue ter mergulhos profundos de criatividade.

Interrompa as críticas

Uma coisa é certa: o feito é melhor que o não feito mesmo quando não é perfeito. Quem é criativo tende a ter um senso crítico muito elevado sobre si e sobre o seu trabalho. E isso é uma forma certeira de você matar com toda a sua inspiração e criatividade – e a porta de entrada para a procrastinação também!

Quantas vezes você começou um projeto e pensou: melhor deixar para lá, isso está horrível!

Mas e se você simplesmente não tivesse deixado para lá? Tivesse silenciado esse seu lado crítico e aproveito o seu senso crítico apenas para aperfeiçoar seu trabalho?

Pois é. Quanto mais a gente critica, mais difícil fica para termos autoconfiança em nós. No mesmo TedxRoma citado acima, Giovanni Corazza comenta que “se o ambiente pune erros, você nunca será tentado a sair da caixa“, para criar um ambiente criativo “é necessário permitir a existência de informações divergentes, é necessário permitir a entrada de informações relevantes.”

Corazza aborda esse assunto especificamente sobre organizações e empresas que buscam para que seus funcionários pensem fora da caixa. Mas pode ser muito bem aplicado à nós mesmos, em nosso trabalho individual.

Quantas vezes você se puniu por pensar algo que “não valia a pena” ou por ter uma ideia que não servia para aquele projeto? Quantas vezes você achou que sua ideia não era boa o bastante e se puniu acreditando que não era uma boa profissional, não era criativa o suficiente?

E o que você pode fazer para recuperar a criatividade quando está sendo muito perfeccionista? Pense que fazer é melhor que deixa de lado, pois é somente fazendo que você conseguirá perceber tudo que precisa melhorar, afinal a prática leva à perfeição.

Da próxima vez que for começar algo e começar a se criticar, busque ouvir apenas aquilo que você pode usar para melhorar, e não para parar!

Se quiser assistir ao TedxRoma de Giovanni Corazza, confira o vídeo (em inglês):

Tenha um banco de ideias

Ainda pensando a respeito de ter pensamentos longos e desenvolver suas ideias, é muito importante que você tenha um banco com seus principais pensamentos e ideias que ainda não foram desenvolvidas.

Nem todo dia a gente vai ter uma ideia completamente nova – e nem todo dia nós teremos tempo e energia suficiente para desenvolver uma boa ideia, extraindo dela todas as melhores possibilidades de criação.

Por isso, ter um banco de ideia vai te ajudar a desenvolver seu processo criativo, a extrair o máximo possível de suas ideias e, assim, ter novas ideias.

Além disso, esse banco será útil para que você consiga deixar registrado as melhores ideias que você teve, mas não tem tempo de se aprofundar muito naquele momento. E, com certeza você já perdeu ideias excelentes apenas por não tê-las antado em algum lugar, né?

Mas, assim, quando tiver o tempo necessário e a disposição para conseguir sentar e trabalhar na ideia, você a terá ali disponível para ser destrinchada.

Esse banco de ideia pode ser uma pasta no computador, uma conta em um aplicativo de notas, um documento em nuvem… Qualquer lugar onde você possa registrar suas reflexões e ideias mirabolantes.

colaboração de ideias

Colaboração de ideias

Criativos tendem a achar que as ideias precisam ser geradas e desenvolvidas estando sozinhos. E realmente, muitas vezes as nossas melhores podem surgir quando estamos a sós. Mas podemos também perder ideias incríveis e inovadoras por estarmos apenas fechados em nosso próprio mundo.

Você já assistiu a um filme, uma série, um desenho infantil e pensou: que criativo! Como será que essa pessoa conseguiu pensar em tudo isso?

Bom, a verdade é que ela não pensou – não sozinha! Uma sala de roteiros dos filmes e séries, é uma sala com uma mesa redonda onde um time de roteiras trabalham em conjunto apresentando suas ideias e aperfeiçoando em colaboração. Ali, você tem um verdadeiro brainstorm e faz uma triagem das melhores ideias para conseguir obter o melhor de cada um.

E com certeza você já ouviu falar que duas cabeças pensam melhor do que uma, né?

É difícil a gente pensar fora da caixa quando estamos apenas inseridos em nós mesmos. Por isso, é tão importante falar com outras pessoas, ouvir outras opiniões, compartilhar impressões, aperfeiçoar as ideias.

Assim, nós damos passos para fora da nossa própria caixinha, nossa própria mente, e conseguimos expandir nossa compreensão e percepção.

 

Ser criativo pode ser muito difícil, especialmente quando não sabemos como nos organizar dentro de uma mente barulhenta. Mas também é muito recompensador quando descobrimos todo o nosso potencial de criação.

Eu espero que essas dicas tenham te ajudado e que você tenha aprendido coisas novas que colaborem para sua criatividade. Comente aqui embaixo uma dica que te ajuda a ser mais criativo no dia a dia e compartilha esse conteúdo com outras pessoas que também trabalham com a criatividade.

Quer aumentar seus ganhos como Freela?
E-book completo e grátis que vai te ajudar agora a aumentar em até 82% o seu rendimento.