sabotadores da criatividade

7 Sabotadores da Criatividade e Produtividade – (O 5 é o maior)

Para ser mais criativo não basta buscar por inspirações, é necessário aprender como acabar com os sabotadores da criatividade! E eu te ensino isso nesse artigo! 

A maioria das pessoas ainda não sabe bem o que ser criativo realmente significa. Muitos acham que a criatividade é um dom, um talento pertencente a um grupo seleto de pessoas sortudas que já vieram ao mundo com capacidade de criar.

Isso não é verdade!

Todos nós temos um grande potencial criativo. E a criatividade não é algo necessário apenas para quem trabalha com produções artísticas, como muitos também pensam.

A criatividade é a capacidade de criar com autenticidade. E todas as pessoas precisam desenvolver sua criatividade para mostrar ao mundo o seu diferencial. Para ser uma pessoa mais criativa não existem muitos segredos, e já falamos aqui como você pode estimular a sua criatividade.

Quer aumentar seus ganhos como Freela?
E-book completo e grátis que vai te ajudar agora a aumentar em até 82% o seu rendimento.

Mas de nada adianta você correr atrás da criatividade se continuar cometendo os mesmos erros que fazem com que ela fuja de você. E vamos te apresentar os 7 sabotadores da criatividade – aquilo que você faz (ou não faz) e que pode estar acabando com a sua capacidade de criar.

Foca na leitura!

O que é um sabotador de criatividade?

Os sabotadores são aqueles elementos que consegue acabar com toda a sua criatividade ou até mesmo impedir que você se veja como uma pessoa criativa e capaz de criar algo.

Isso pode ser uma forma de pensar que você aprendeu ainda quando era criança. Pode ser um sentimento que você nutre dentro de você. Ou até mesmo um conjunto de crenças limitantes que pode todo seu potencial criativo a cada vez que uma ideia diferente surge na sua mente.

Pensando sobre os diferentes processos criativos e até mesmo a minha experiência, trabalhando há mais de 8 anos usando apenas a minha criatividade, eu identifiquei 9 sabotadores que geram dúvidas, inseguranças e desencorajamento a cada vez que temos uma ideia diferente, impedindo que coloquemos em prática a nossa criatividade.

E eu sei que provavelmente você também sofre com pelo menos 1 desses sabotadores.

Talvez você nunca tenha conseguido se enxergar como uma pessoa criativa, ou esteja constantemente enfrentando ciclos de bloqueios criativos que te impedem de criar com constância.

Independente de qual seja o seu caso, o melhor caminho para destravar a sua criatividade é identificando aquilo que está prejudicando-a. E, então, com esse conhecimento, atuar em cima do problema.

Vou te explicar detalhadamente a seguir as características de cada sabotador e o que você deve fazer para não deixar que eles te prejudiquem nunca mais.

1. Perfeccionismo

O perfeccionismo é a base dos sabotadores da criatividade. Isso porque ele ajuda a desenvolver diversos outros sabotadores (como o 4, 5, 6 e 7, que você lerá a seguir) e, ao mesmo tempo, é fortalecido também por todos eles.

O perfeccionismo parte da busca por algo que é completamente inatingível: a perfeição. Assim, quando fazemos algo com a visão focada em fazer “perfeito”, teremos sempre a sensação  de que fizemos menos do que deveríamos. Não importa o quanto você tenha se esforçado, o quanto tenha treinado, o quanto tenha praticado, o quanto tenha aprendido, nada disso tem relevância se o resultado não for perfeito aos seus olhos.

Perfeccionismo não faz você se sentir perfeito; faz você se sentir inadequado.Maria Shriver

No entanto, os processos criativos não são perfeitos. Muito pelo contrário. Normalmente, a criatividade está envolta de sentimentos, o qual usamos como um arsenal para produzir de forma que seja possível nos expressarmos. A criatividade, que é a sua capacidade de criar de forma autêntica, é o modo com que você se expressa ao mundo através daquilo que você sabe fazer. E cada pessoa possui o seu próprio jeito de fazer isso, não existindo uma forma “perfeita” para tal.

O pior de tudo é que muitas pessoas são perfeccionistas, mas não fazem ideia disso!

Como saber se o perfeccionismo está sabotando sua criatividade?

O perfeccionismo pode se manifestar de diferentes formas, mas estes são alguns dos sinais mais comuns:

  • Você evita fazer coisas que você sabe que não é o melhor naquilo;
  • Constantemente, você lida com a sensação de que não consegue ser “bom o bastante“;
  • Você se sente intimidado pelas expectativas que você mesmo impôs para seu trabalho;
  • Os resultados sempre importam mais do que os processos (e o que você aprende enquanto cria);
  • Ao criar algo, você se sente estressado e ansioso;
  • Você tem dificuldade em superar os erros que foram cometidos;
  • Para você, a sensação de se sentir desmotivado e sem confiança em suas capacidades é algo comum;
  • Você sempre acaba comparando o seu trabalho com o de outras pessoas que você julga serem mais talentosas que você.

Acabar com o perfeccionismo é muito difícil. Porém, existem algumas coisas que você pode fazer por si mesmo – e isso começa na forma com que você enxerga a si mesmo, o seu trabalho e suas capacidades.

sabotadores da criatividade: perfeccionismo

Como acabar com o perfeccionismo e ser mais criativo?

Aprenda a apreciar seus processos

Nem tudo que fazemos deve ser feito com o desejo de obter resultados perfeitos, especialmente quando estamos começando algo novo. Apreciar o processo é entender que você está em constante evolução. Por isso, deve focar muito mais no que está aprendendo e melhorando do que no resultado.

Substitua as críticas por avaliação;

A cada pensamento de crítica que você tiver sobre não ter feito bom o bastante, substitua por uma avaliação sobre o que pode ser feito melhor.

Ou seja, parar de pensar que “isso não está bom o bastante” e comece analisar “como eu posso melhorar isso?”.

Tenha mais aceitação

Tudo começa na forma com que você se enxerga e como você escolha se enxergar.

Você pode pensar o tempo inteiro que nunca consegue fazer como deseja, que não é bom o bastante, ou que nunca consegue melhorar.

Ou você pode pensar que todos nós fazemos aquilo que podemos fazer com o conhecimento e capacidade que temos em cada momento. E, quanto mais fazemos, mais aprendemos.

Feito é melhor que perfeito

Faça um compromisso com você de jamais deixar de fazer algo apenas por medo de não sair perfeito.

Se você não fizer isso, você nunca fará nada e ficará sempre alimentando dentro de si um baixo conceito sobre si mesmo e ansiedade pelo dia em que terá a tal capacidade de fazer perfeito. E, como você já deve imaginar, esse dia nunca chegará.

Por isso, faça e, quando fizer, volte para o primeiro ponto.

2. Falta de lazer

Muitas pessoas acreditam que para desenvolver a criatividade é necessário estar constantemente estimulando-a e buscando novas formas de criar.

No entanto, isso pode ser justamente algo capaz de acabar com toda a sua criatividade!

O artigo “The Science of Creativity” (A ciência da criatividade) publicado American Psychological Association (Associação Americana de Psicologia) revela que uma das formas e você se manter criativo é se abrir para novas experiências cotidianas, como viagens, passeios e coisas que você pode fazer que não estão relacionadas a criar ou produzir algo.

É quando você se abre para novas experiências que você se permite expandir a sua visão de mundo.

Ou seja, quando você não está preocupado em aumentar a sua criatividade ou colocá-la em prática, e busca por momentos de qualidade de lazer que gera curiosidade e interesse em coisas (ou pessoas) novas e diferentes, você aumenta o seu repertório criativo.

Por isso, uma das formas de sufocar e, consequentemente, sabotar toda a sua criatividade é buscar o tempo todo por ser criativo e produzir.

sabotadores da criatividade

3. Consumo de informações em excesso

Você já parou para pensar em quanta informação consumimos diariamente? A cada rede social que acessamos (Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn, Youtube…), estamos consumindo diversas informações. Lemos notícias, assistimos a vídeo, aprendemos coisas novas que esquecemos 5 minutos depois. Mas, de alguma forma, queremos que tudo isso que consumimos nos marque profundamente.

Geramos um estresse gigantesco para a nossa mente de ter que se lembrar de tantas coisas e tornar tudo isso em informação relevante para a nossa memória.

Mas o pior de tudo é quando pensamos que precisamos disso para termos mais inspirações – que precisamos consumir o conteúdo de 50 criadores no Instagram, que precisamos olhar os stories de todas as pessoas influentes na nossa área, que precisamos assistir a aula, fazer cursos, e colocar tudo isso em prática para sermos pessoas mais criativas.

A verdade é que apenas estamos consumindo muito conteúdo e não dando espaço para a nossa mente produzir nada.

Isso gera todo tipo de desgaste: ansiedade, estresse e aquele inquietante sentimento de que sempre estamos perdendo algo.

Julia Cameron, a autora do livro ‘O Caminho do Artista’, afirma que “quando um artista criativo está cansado, geralmente é devido a muito fluxo de entrada, não muito fluxo de saída”. Ou seja, não é pelo tanto que você está produzindo, mas sim pelo tanto que você está consumindo.

Por isso, uma das formas de você parar de sabotar a sua criatividade é deixar de buscar o tempo inteiro por inspiração, conhecimento e referência, deixando de lado um pouco o consumo de informações, e deixando a sua mente descansar em suas próprias ideias e processos criativos.

4. Procrastinação

A procratinação é outro grande inimigo da criatividade. E o grande problema é que os motivos que podem levar uma pessoa a procrastinar são muitos!

Você pode estar procrastinando por causa do perfeccionismo, esperando pelo “momento perfeito” para fazer algo, por não se sentir preparado o bastante para começar ou concluir um projeto, por medo de começar e não conseguir concluir, por uma acúmulo de tarefas, por estar sonhando demais e se esquecendo de agir, por sempre achar que “dá tempo”, por falta de concentração, por estresse…

Enfim, existem diversos motivos que podem estar te levando a procrastinar. O problema é que quanto mais você procrastina, mais isso te aterroriza mentalmente. Você passa se sentir sufocado e despreparado, pois existem diversas tarefas que exigem a sua atenção e você não se sente pronto para começar ou concluir nenhuma delas.

Com o passar do tempo, isso se torna um hábito e os sentimentos esmagadores de preocupação, insegurança e estresse se tornam parte da sua rotina, te impedindo de se sentir autoconfiante e preparado para produzir e criar coisas novas.

Já ficou bastante claro que a preocupação cria uma verdadeira bola de neve dentro da mente de uma pessoa, não é?

Como interromper os ciclos viciosos de procrastinação?

Uma forma muito prática de você começar a eliminar a procrastinação da sua vida é aplicar diariamente o sitema da Matriz de Eisenhower. Basicamente, é você listar as tarefas que precisam ser feitas em 4 ações diferentes:

  1. Defina uma lista de prioridades;
  2. Sempre faça primeiro tudo aquilo que é urgente e importante;
  3. Agende um dia e horário para tudo aquilo que é importante, mas não é urgente;
  4. Delegue o que é urgente, mas não é importante para você;
  5. E elimine tudo aquilo que não se encaixa nem como urgente, nem como importante.

Com isso, você começará a agir de forma focada nas coisas que realmente precisam ser feitas e quando precisam ser feitas. Porém, é claro que isso não faz milagre nenhum. Para você deixar de lado o hábito da procrastinação é necessário um conjunto de outras atitudes que exigem muitos sacríficios:

  • Seja comprometido com a sua palavra: se você disse que ia fazer algo, faça;
  • Não pense demais antes de começar a fazer algo: pare de ficar se perguntando quanto tempo você tem, se pode ser feito depois ou coisas do tipo, simplesmente pegue aquilo que precisa ser feito e faça sem dar tempo para sua mente inventar desculpas;
  • Saiba quais são seus recursos de procrastinação e elimine: muitas vezes nós queremos fazer algo, mas estamos tão acostumados a procrastinar que simplesmente fazemos isso por hábito. Porém, se você eliminar seus recursos (checar notificações no celular, ligar a TV, sair para beber água, mandar uma mensagem…), você acabará eliminando o atalho da procrastinação;
  • Faça a próxima coisa: pare de pensar em tudo que tem que ser feito (gerando ansiedade e estresse) e pense sempre no que deve ser feito a seguir apenas.

sabotadores da criatividade o medo

5. Medo

O medo é aquele sentimento que, se não tivermos cuidado, sabota muitas coisas em nossa vida. E isso não seria diferente com a nossa criatividade!

Você pode ter medo de muitas coisas, como:

  • Não ser bom o bastante;
  • Começar e não conseguir/saber concluir;
  • Das pessoas não gostarem do resultado do seu trabalho;
  • Descobrir fraquezas suas no processo e não saber o que fazer diante disso;
  • Lidar com questões desafiadoras no processo criativo.

Mas tudo isso faz parte de você sair da sua zona de conforto.

Basicamente, toda vez que damos um passo para fora da nossa zona de conforto estamos entrando na zona do medo. É um lugar onde ficamos muito presos às desculpas que inventamos para nós mesmos, onde damos muito ouvido às opiniões alheias e, principalmente, onde percebemos claramente a nossa falta de autoconfiança.

Por isso, muitas pessoas saem da zona de conforto e acabam voltando para ela rapidamente. No entanto, se você treinar a sua mente para entender que isso é um processo e que você tem coragem o bastante para se desafiar, você descobrirá que após a zona do medo existe a zona de aprendizado.

E, neste lugar, você começa a enfrentar seus desafios e, com isso, passa a adquirir novas habilidades. A partir desse estágio, você segue em frente até alcançar seus objetivos, superando o medo, o desconforto e a falta de autoconfiança.

E o que tudo isso tem a ver com a criatividade?

Como já falamos, criar é se expressar de forma autêntica no mundo. Mas isso só é possível quando você sai da sua zona de conforto, expande sua visão de mundo, passa a ter mais coragem de não se limitar dentro do que esperam de você e dos próprios limites que você impõe para si mesmo.

E acredite em mim: não adianta esperar o medo passar, pois isso nunca vai acontecer!

A cada vez que você der ouvidos àqueles medos (não ser bom o bastante, não saber concluir o que foi começado, as críticas que você pode receber, perceber suas limitações, ter que lidar com desafios inesperados), você estará se encolhendo cada vez mais dentro da sua zona de conforto.

E isso é um verdadeiro veneno para a criatividade.

Ser criativo é não deixar que o medo, as críticas, as inseguranças te limitem a se expressar como você deseja. E quanto menos medo você tiver, melhor será. Mas isso só passará a acontecer quando você começar a caminhar para longe da sua zona de conforto.

sabotadores da criatividade a busca por aprovação

6. Busca por aprovação

O perfeccionismo com o medo acabam gerando um novo sabotador para qualquer processo criativo: o desejo de aprovação.

Esta busca por ser aprovado pode ser manifesta em diversos comportamentos e sentimento, como:

  • Ficar chateado quando não recebe elogios;
  • Ter medo de expressar sua visão;
  • Mudar uma posição/visão/comportamento para se encaixar e ser aprovado;
  • Fazer algo apenas para agradar outras pessoas;
  • Sentir-se inseguro quando outras pessoas discordam de você.

O problema é que quando buscamos por aprovação o tempo inteiro acabamos desenvolvendo ou fomentando diversos problemas como falta de autoconfiança, de autoestima, de realização (pessoal e profissional), além de aumentar os níveis de estresse por nunca saber se você está atingindo ou não as expectativas das pessoas.

Dessa forma, você possui a necessidade de obter aprovação dos outros, você se sente ansioso e inseguro quando tenta fazer coisas novas que estão fora da sua zona de conforto e se preocupa muito com o que as pessoas esperam de você. Assim, você acaba deixando de fazer tudo aquilo que tem vontade de fazer e que é importante para você.

No entanto, estimular a criatividade tem muito a ver com fazer coisas diferentes, sem ter medo de parecer “rídiculo” ou “inadequado”, julgamentos que são, muitas vezes, dados a partir das críticas de outras pessoas (ou as críticas que você acha que elas podem fazer, mesmo que apenas mentalmente).

Como superar a necessidade de aprovação?

Aqui está o seu grande desafio. Quando temos essa necessidade, normalmente moldamos toda a nossa forma de pensar e nossos comportamentos, construindo hábitos mentais para agir sempre diante da aprovação do outro.

Para mudar isso, é necessário nadar contra a corrente. Ou seja, ter coragem e não se desafiar.

O comportamento base para você superar de vez a necessidade de receber aprovação dos outros e, assim, ter coragem para exercer a sua criatividade sem medo das críticas, é ser fiel a si mesmo.

Na prática, isso significa que você precisa se autoanalisar, descobrir seus próprios motivos para agir e querer determinadas coisas e não abrir mão daquilo que é importante para você.

Sabe aquele medo de parecer “louco” ou que as pessoas te julgem como alguém que está “alheio à realidade”? Isso é um medo bem comum de pessoas que buscam a aprovação e acabam anluando a criatividade.

Porém, se você sabe os motivos pelos quais está agindo e o que te motiva a fazer o que faz e como faz, não há espaço para ter medo do que vão pensar. Afinal, você já tem a sua aprovação para agir.

7. Desejo de ser original

Se tem algo capaz de estragar com todo o potencial criativo de uma pessoa é a busca por ser sempre original. Você com certeza sabe do que estou falando: aquele desejo de criar algo que ninguém ainda pensou, de fazer algo completamente inédito e que impressione as pessoas.

Esse é um desejo tão audacioso que ele é capaz de te paralisar totalmente.

A criatividade não é (e nunca foi) sobre você fazer algo que ninguém ainda fez. Mas, sim, sobre você fazer algo de forma autêntica. Todos nós somos pessoas únicas – temos nossa própria história, nossas experiências, nossos relacionamentos, nossa forma de ver o mundo. Todas essas coisas podem ser usadas a nosso favor na hora de criar e produzir algo.

O importante não é falar sobre algo que ninguém não tenha falado ainda, ou fazer algo de uma forma que as pessoas ainda não pensaram. Mas sim, fazer isso de forma apropriada com a sua personalidade e no que você acredita – é isso que faz outras pessoas se conectarem.

Porém, se você busca por fazer algo completamente original, com certeza se frustrará e ficará paralisado.

Pense, portanto, naquilo que você pode fazer somente pode ser feito daquela forma por você. É aí que você encontrará a sua forma autêntica de se expressar.

Não existem segredos sobre como você poder ser mais criativo. Porém, entender como funciona, o que ajuda e o que atrapalha processos criativos é essencial para estimular sua capacidade de criar. Comente aqui embaixo quais desses 7 sabatadores é o mais difícil para você e aproveite para continuar estudando sobre criatividade lendo este artigo abaixo:

Quer aumentar seus ganhos como Freela?
E-book completo e grátis que vai te ajudar agora a aumentar em até 82% o seu rendimento.